Vantagens e Desvantagens em Aplicações do IDR

Nesse artigo vamos abordar um pouco mais sobre o IDR, Dispositivo Diferencial Residual, porém agora de uma forma mais voltada para o momento do projeto de um Quadro de Distribuição,

ou seja, qual forma de empregar o IDR consiste em um melhor custo x benefício.

A proposta aqui não impor uma regra, mas sim fazer com que todos tenham uma melhor noção de empregabilidade de equipamentos no projeto em que está fazendo para um cliente ou para próprio uso, sendo assim, a partir desse artigo teremos uma base para melhor compor as necessidades diárias de cada eletricista com as vantagens e desvantagens do IDR no QDL.

Nivelando conceitos do IDR

Ante de tudo vamos manter um nivelamento de conhecimento desse equipamento chamado de IDR. Sabemos que ao contrário dos disjuntores termomagnéticos, o IDR é desarmado com uma simples fuga de corrente igual ou superior a 30mA e não em caso de curto circuito ou sobrecarga como os disjuntores.

Podemos ressaltar que essa fuga de corrente percebida pelo nosso IDR pode ser através dos seguintes casos:

  • Choque elétrico no corpo humano;
  • Condução elétrica pela água, mesmo goteira mínima que não foi ainda descoberta;
  • Zinabre criados em pinos de plugs conectores;
  • Fuga de corrente elétrica nas fiações ora ressecadas ou antigas.

O funcionamento interno do IDR consiste em uma comparação entre a corrente elétrica que sai com a corrente elétrica que está retornando, com isso, se caso a corrente elétrica de retorno for maior ou igual a 30mA ele instantaneamente desarma e interrompe todo circuito que está subordinado a ele.

Além disso todo IDR possui um botão de teste, esse deve sempre ser usado para garantir que o equipamento está em plena condição de uso e que irá executar seu trabalho em caso alguma emergência ocorra.

Aplicar o IDR na alimentação do QDL ou em circuito?

Aplicando IDR na alimentação do QDC

Uma das dúvidas na hora de identificar quantos e onde aplicar o IDR sempre surgiu nos projetos elétricos de residências e industrias. Dessa forma vamos então falar as vantagens e desvantagens de cada aplicação.

Aplicando IDR na alimentação do QDL

  • Vantagens:

Tudo na nossa vida existe vantagens e desvantagens, então vamos começar falando sobre as vantagens de se instalar um IDR logo na proteção do alimentador do seu QDL

A instalação desse dispositivo no alimentador do QDL possui duas vantagens logo de cara, primeiro que você não vai gastar muito dinheiro com IDR, pois o preço desse equipamento é relativamente alto em comparação com um disjuntor comum, esse gap chega ser quase 10x mais entre os preços de venda praticados, sendo assim um único IDR lhe daria um baixo investimento de proteção.

E uma segunda vantagem seria a proteção total da sua residência ou empresa, todos os aparelhos, pontos de luz, fiação estariam protegidos sem nenhum ponto do estabelecimento ficar esquecido.

  • Desvantagens:

Assim como um IDR instalado no alimentador pode ser considerado como vantagem ele também tem uma porcentagem na desvantagem, isso ocorre pois esse equipamento estará protegendo tudo, logo quando ele desarmar você terá que testar todos os pontos do estabelecimento para encontrar onde está o problema, ou seja, protegido a casa vai estar mas na hora da manutenção agir o tempo de reparo será bem maior. Outro ponto seria também em caso do acionamento for no período noturno, isso em uma residencia colocaria todos no escuro e para ai resolver o problema é bem mais complexo.

Aplicado IDR por circunitos.

  • Vantagens:

Fazer a instalação do seu quadro de distribuição com separação dos circuitos já ajuda muito na distribuição de cargas de proteção e claro na hora de manutenção, sendo assim, aplicar um IDR para cada circuito pode ser uma ótima saída em estabelecimentos que possui muitos pontos de aparelhos.

Pois nesse cenário o interruptor diferencial residual terá um conjunto de disjuntores subordinados a ele e somente vai atuar se o circuito de um determinado disjuntor subordinado a esse dispositivo diferencial residual estiver com fuga de corrente, sendo assim todo restante do circuito permanecerá em funcionalidade e somente aquele pedaço de circuito será avaliado.

Outro ponto positivo é que nesse caso a proteção é bem mais detalhada, possibilitando assim uma varredura mais minuciosa na hora da manutenção e também sem dúvidas uma melhor eficácia do IDR.

  • Desvantagens:

Não precisamos nem falar que você vai gastar uma boa grana caso seu QD for um daqueles “monstruosos” e você teve que separar seus circuitos em vários grupos.

Mas nesse caso o que você precisa utilizar é algo chamado de bom senso, pois, IDR é um equipamento desenvolvido para sentir fugas de corrente muito pequena, imperceptíveis pelo disjuntos, ou seja, esse equipamento foi desenvolvido especialmente para proteção dos circuitos de áreas úmidas, onde a possibilidade de uma fuga de corrente é bem maior e pode causar até morte nos usuários da área.

Dessa maneira como é normatizado pelo Brasil, os QD novos devem por obrigação conter IDR nos circuitos de área úmida, nos demais ambientes não se faz necessário.

Vantagens e desvantagens da aplicação do IDR em cada circuito

10 DICAS: Como localizar o circuito que causou o desarme do IDR.

Para os iniciantes em manutenções vamos aqui dar aqui 10 dica bem simples de como proceder passo a passo para encontrar a falha em um circuito que foi desarmado pelo IDR, veja:

  1. Desligar todos disjuntores subordinados ao respectivo IDR desarmado;
  2. Rearmar IDR;
  3. Ligar um disjuntor por vez até que o IDR desarme;
  4. Permaneça com o disjuntor desarmado e rearme o IDR;
  5. Rearme todos os outros disjuntores do circuito exceto o com possível falha;
  6. Confirmado a falha no disjuntor se dirija até a área correspondente a proteção do mesmo e remova todos aparelhos da tomada;
  7. Retorne ao QD e rearme o disjuntor que estava desligado;
  8. Se ao rearmar o disjuntor o IDR voltar a desarmar o problema estará na fiação desse circuito ou então em algum aparelho que esteja ligado direto no circuito sem intermédio de tomada, ou ainda na parte de iluminação se essa houver no circuito;
  9. Caso o IDR não desarme ao rearmar o disjuntor, então o problema está em um dos aparelhos que você desligou das tomadas;
  10. Agora conecte um aparelho por vez até que o IDR desarme, com isso você irá identificar o exato aparelho com problema, ai basta investiga-lo e identificar o que há de errado no aparelho.

Veja também o funcionamento do Disjuntor Residual

Agora quando surgir o tema IDR e como projeta-lo no seu circuito você saberá com certeza a melhor maneira de aplica-lo e obter o melhor custo x benefício e garantir total proteção e facilidade na hora da manutenção.

Avalie esta Página

Comentários

comentários

Deixe um comentário