Scroll Top

Cadastre seu e-mail e receba atualizações gratuita sobre elétrica

Dicas de Como Fazer a Montagem de um Quadro de Distribuição

Não importa qual serviços que iremos desenvolver na área elétrica, ele deve sempre estar nos conformes e seguindo as normas, como a NBR 5410 – Instalações elétrica em baixa tensão – e NR-10 – Segurança em instalações e serviços em eletricidade.

Com a energia fornecida pela concessionária até que chegue em nossas residências. Antes de se alocar nos aparelhos elétricos contidos em nossa casa, ela passa pela pelo quadro de medição, que está associado ao quadro de distribuição.

Este quadro de medição é onde é medido o consumo mensal, que é ligado através de um ramal de entrada ao quadro de distribuição.

Por vez, este quadro é o responsável pelo ponto de partida para a alimentação de pontos elétricos espelhada pela casa, em que são divididos em circuitos. Podem ser divididos em circuitos de iluminação, de tomada de uso geral, tomadas de uso especifico, etc.

Exemplos de Montagens de Quadro de Distribuição


Montagem do quadro de distribuição com Disjuntor Termomagnético

Montagem do quadro de distribuição Bifásico ou Trifásico com Disjuntor Termomagnético (DTM)

 

Montagem do quadro de distribuição Bifásico ou Trifásico com Disjuntor Diferencial Residual (DR)

quadro de distribuição Monofásico com Disjuntor Diferencial Residual (DR)

Montagem do quadro de distribuição Monofásico com Disjuntor Diferencial Residual (DR)

Montagem do quadro de distribuição Monofásico com Disjuntor Termomagnético (DTM)

 

Disjuntores

São dispositivos extremamente necessários para o auxílio da proteção de um circuito. Este circuito alimenta as cargas do ambiente.

Analisando os exemplos de montagens dos quadros anteriores, observa-se a existência de barramentos, que contem condutores de proteção e neutro. O primeiro deve estar acoplado ao segundo que deve estar, obrigatoriamente, isolado eletricamente do quadro em questão.

Dessa forma, pode-se obter a segurança contra descargas elétricas no contato indevido com superfícies condutoras.

Dicas para uma montagem eficiente para um quadro de distribuição

Se você possui dúvidas para se fazer uma montagem de um quadro de distribuição que seja eficiente, confira a seguir algumas dicas.

1 – Divisão de circuitos

Qualquer instalação elétrica eficiente deve possuir, de acordo com cada necessidade apresentada, a divisão de circuitos e, de acordo com a norma, devem estar identificados para a segurança de quem for fazer uma manutenção, ensaios, inspeções e para se evitar defeitos no circuito.

Deve ser lembrado também que a chave geral do circuito deve estar isolada para uma melhor visualizada, principalmente em casos de acidentes onde as pessoas precisam ir rapidamente até o quando e desligar mesmo estando desesperadas.

2 – Previsões

Todo e qualquer circuito de distribuição distinto deve ser previsto, afim de pensar nas futuras necessidades de controle especifico, não deixando esses circuitos serem afetados por falhas de outros circuitos.

Deve ser analisada também a possibilidade de ampliações, que também afeta no grau de ocupação dos condutores e nos quadros de distribuição.

3 – Circuitos individuais

Nesta etapa, deve ser observada as funções dos equipamentos de utilização a serem alimentados. Algumas máquinas necessitam de circuitos individuais, sendo distintos dos circuitos de tomadas e de iluminação.

Levando em considerações as resistências e locais de acomodação (hotéis, motéis etc), os circuitos com equipamentos de necessidade de corrente nominal igual ou acima de 10A, devem ser separados em circuitos individuais.

4 – Equilíbrio de cargas

As cargas devem ser distribuídas de tal forma nas instalações alimentadas com 2 ou 3 fases, de modo a se obter o maior nível de equilíbrio possível entre elas.

5 – Dimensionamentos

Para que não ocorram falhas de queda de energia, curtos-circuitos, queima de equipamentos e outros problemas mais, se faz necessário o dimensionamento das cargas a serem instaladas no circuito de acordo com todos os equipamentos a serem utilizados.

Se você não possui o conhecimento para tal dimensionamento, recorra a um eletricista profissional gabaritado.

Uma questão importante para aqueles clientes que necessitam de projetos, vale lembrar que apenas pessoas de nível superior completo, com autorização do CREA podem desenvolver tais projetos.

Procure, então, um engenheiro de confiança para estar realizando os projetos, com desenhos e dimensionamentos de cargas. Lembrando que nada lhe impede de estar executando o projeto, apenas o procure para a elaboração.

Dicas de Como Fazer a Montagem de um Quadro de Distribuição
4.67 (93.33%) 6 votes

Comentários

comentários

Sobre o autor | Website

Saber Elétrica - trata-se de um web site totalmente totalmente voltado ao mercado da elétrica e eletrônica em geral. Visando reunir e trazer para você leitor mais informação e dicas sobre o assunto. Um projeto idealizado e administrado por Luiz Jacques.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

14 Comentários

  1. Raphael disse:

    Ótimo trabalho!!!! Parabéns

  2. Luis Augusto Barros disse:

    Bom trabalho. Quero saber porquê que depois de montagem de 2 diferencias, um p circuito das tomadas e outro p iluminação que qdo se enjecta a corrente um do diferencial díspar. Quero esquema completode montagem de diferencial

  3. maurilio disse:

    o qe tenho a dizer muito obrigado. voces caiu do ceu eu agradeco muito

  4. CRISTINA BEZERRA disse:

    existe um altura padrão para que esse quadro seja instalado aonde acho essa resposta?

  5. Jorge Luiz Pereira disse:

    Bom dia! Por favor, poderia me informar se posso usar o mesmo terra para o DPS, ligação nas tomadas e também para o chuveiro e eletrodomésticos? Aguardo. Obrigado.

    • Bem vindo ao Saber Elétrica, Jorge Luiz! Sim, você pode usar o mesmo aterramento tanto para DPS quanto para fazer o aterramento de tomadas e demais equipamentos.
      Seja sempre bem vindo!
      Adolpho Eletricista

    • Bem vindo ao Saber Elétrica, Jorge! Sim, pode ser utilizado o mesmo sistema de aterramento, desde que tenha sido bem construído.

      • Jorge Luiz Pereira disse:

        Boa noite! Por favor, será que poderia me ajudar? Aproximadamente a um ano colocamos 32 holofotes de LED em uma entidade, sendo de 30W cada, bivolt de 100V à 240V, e os mesmos estavam ligados em 220V (110V + 110V), más, estavam queimando de 2 a 3 holofotes por semana, então, mudamos a instalação para 110V (Neutro + 110V) e ainda continua queimando na mesma proporção. Todos com fio terra ligado. Medindo a energia tem uma variação ( oscilação ) de 100V à 128V. O que devo fazer? Aguardo. Obrigado.

        • Bem vindo ao Saber Elétrica, Jorge Luiz! Tanto em 110V quanto em 220V não deveriam queimar, mesmo com a variação de tensão informada. O aterramento não interfere em nada, pois só aterra a carcaça do holofote para evitar choque elétrico a usuários. O que pode haver é algum problema na instalação elétrica ou ainda com os holofotes. Uma empresa que presto manutenção tem esse mesmo problema, e já foi identificado que é do fabricante da lâmpada. Procure usar marcas confiáveis no mercado.

          • Jorge Luiz Pereira disse:

            Bom dia! Obrigado pelo retorno. Através de sua resposta consegui localizar o problema. Notei diferença na carcaça de trás aonde fica o driver; uma delas e mais arredondada e a outra mais quadrada, desmontei estes dois holofotes, sendo que um deles já estava queimado e o outro não, ambos colocados no mesmo dia. Ambos do mesmo fabricante, pelo menos e o que diz na etiqueta. Notei que os chips (LED) são diferente e também os driver. Acredito que são importados e o “fabricante” só coloca a etiqueta para revender.

          • Ficamos felizes por termos conseguido auxiliá-lo a solucionar o seu problema. Seja sempre bem vindo ao Saber Elétrica.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.