NBR 14136 – Padrão Brasileiro de Tomadas Elétrica

Tomadas elétricas e plugues são fatores polêmicos no Brasil, afinal a cada mudança de padrão há um desconforto geral da nas residências. Mas você eletricista sabe me dizer quais são os tipos de tomada e plugues que existem tanto para uso residências quanto para as industriais? Qual a norma que rege? Por que foi alterado o padrão de tomada no Brasil? E na indústria, saberia utilizar a tomada certa? Bom, essas respostas abordaremos aqui nesse artigo, continue lendo para saber mais.

Começando com a definição de tomada e plugue elétrico

Para iniciar nosso artigo vamos entender o que é tomada elétrica e plugue. Tomadas elétricas são dispositivos que possibilitam a união entre equipamento e rede elétrica por intermédio do plugue, esse por sua vez parte do equipamento, ao contrário da tomada que é parte integrante do circuito elétrico de baixa ou alta tensão residenciais ou industriais.

Todas tomadas elétricas e plugues devem tomar como referência dois pontos importantes para o seu dimensionamento. O primeiro é a corrente que irá trafegar nessa união e a tensão da rede a qual será submetida.

Sendo assim, as tomadas devem sempre respeitar esses dois pontos como base em um dimensionamento. Na sequência deve-se observar as condições do ambiente/local de instalação da tomada e equipamento, com isso você irá aplicar a tomada mais indicada para cada tipo de situação.

Padronização das tomadas no Brasil NBR 14136

 

Saiba quais são os tipos de tomadas padrão no Brasil

A padronização das tomadas e plugues elétricos no Brasil ocorreu não por uma indústria do dinheiro, mas sim como uma forma de proteção nas residências e seus usuários. Tudo aconteceu depois de um estudo levantado pela ABNT, nesse estudo observou-se que no Brasil haviam mais de 12 tipos diferentes de plugues e tomadas elétricas.

Isso ocorreu devido à produção de equipamentos elétricos como, por exemplo, geladeiras, TV’s, aparelho de som, microondas e etc, onde cada fabricante seguia a norma do país da marca, ou seja, se um determinado fabricante de geladeira fosse europeu, ele iria produzir ou exportar seus equipamentos de acordo com os padrões de sua origem e não de uma comum no país de destino.

Dessa forma todas importadoras e fabricas desses equipamentos que são facilmente encontrados em uma residência acabavam seguindo essa regra.

Sendo assim ao comprar um eletrodoméstico, por exemplo, o usuário tinha em muitos que adaptar a tomada com adaptadores, benjamins para que o plugue do eletrodoméstico adquirido pudesse servir em sua casa.

Com essa situação instalada no Brasil, os casos de choques elétricos, incêndios e problemas com a rede elétrica eram de uma proporção assustadora no Brasil.

Devido a tal problema a ABNT criou a norma NBR14136 e com ela criou-se o padrão único de tomada e plugue elétrico, independente da origem dos fabricantes de equipamento. Nessa norma a ABNT prevê os modelos residenciais de 10 A e os modelos de até 20 A.

O novo padrão de tomada elétrica e plugue no Brasil

 

padrao-de-tomada-eletrica

Esse novo padrão possui como sua base de projeto proteger o usuário, sendo assim foi elaborado com uma proteção de contato direto com os pinos do plugue ou os pinos de encaixe da tomada.

Nesse caso, os pinos de encaixe da tomada estão mais distantes da superfície da tomada, e o encaixe do plugue é guiado por paredes da tomada, com esse sistema evita o contato do dedo com os pinos do plugue.

Outro ponto positivo é a obrigatoriedade do pino terra, ambos modelos residenciais possuem o encaixe para o pino terra, possibilitando assim mais eficiência no uso e proteção contra surtos elétricos.

Outro detalhe que vale lembrar é que, os plugues de 10 A são obrigado a encaixarem nas tomadas de 20 A, porém o oposto é vedado.

Tomadas e plugues elétricos para indústria

 

padrao-tomadas-industrial

Como vimos para as residências possuem uma regra e um padrão, algo que nas indústrias já existe a um bom tempo. Nas indústrias muitas vezes temos influência de 3 fatores: Corrente; Tensão e Frequência de trabalho.

Por isso existe uma regra para se determinar qual melhor tomada para cada processo ao que ela será submetida. Essas tomadas são em sua maioria blindadas, resistentes a água, ambientes rústicos e correntes muito elevada. Nelas podemos conectar desde 2 polos + terra até 6 polos + terra.

NBR 14136 – Padrão Brasileiro de Tomadas Elétrica
4.5 (90%) 4 votes

Comentários

comentários

Deixe um comentário