O mercado de Energia Fotovoltaica no Brasil

A energia fotovoltaica tem sido o novo foco de expansão e mudança na matriz energética. Como principal fonte da chamada geração distribuída, o número de instalações e projetos tem crescido exponencialmente desde 2012, ano em que foi aprovada a regulamentação para venda de energia por parte de micro e mini produtores de energia.

Neste artigo vamos falar sobre o mercado de energia fotovoltaica no Brasil, suas características principais e perspectivas.

Crescimento da energia fotovoltaica no Brasil

Casas que possuem energia solar fotovoltaica

Energia solar e fotovoltaica são termos muitas vezes usados de forma intercambiável, mas há uma diferença importante. Energia solar é um conceito mais genérico, se aplica a toda energia produzida tendo como fonte primária a luz do sol.

A energia fotovoltaica, produzida a partir de células fotovoltaicas de material semicondutor, é um tipo de energia solar. A energia solar térmica(ou Heliotérmica), por exemplo, é outra forma de gerar energia a partir da luz do sol. São duas tecnologias diferentes para gerar energia solar.

Os projetos fotovoltaicos são os mais comuns e respondem pela maior parte da eletricidade produzida a partir da radiação solar. A instalação de painéis fotovoltaicos em residências, principalmente, cresceu vertiginosamente desde 2012. Naquele ano, de acordo a ANEEL havia 4 conexões registradas (isso mesmo, somente quatro).

Cinco anos depois, em janeiro de 2017, o número já havia passado de 7 mil ligações de fontes de geração solar ao SIN(Sistema Interligado Nacional). O número engloba diversos geradores, mas a maioria diz respeito a sistemas fotovoltaicos.

O ano de 2012 é referência para a comparação, pois foi quando a ANEEL aprovou a Resolução Normativa ANEEL 482/2012. Esta é a norma que disciplina e regulamenta as condições para que micro e mini geradores de energia (não apenas solar) se conectem ao sistema elétrico e possam vender energia às distribuidoras, por meio do regime de obtenção de créditos energéticos.

A norma sofreu uma revisão em 2015, com a edição da Resolução Normativa ANEEL 687/2015. A nova resolução facilitou ainda mais o acesso de pequenos produtores e pessoas interessadas em gerar energia.

Geração distribuída x geração centralizada

As resoluções de 2012 e 2015, bem como as demais portarias e normas complementares, regulamentaram a geração de energia distribuída no Brasil. A geração de energia de forma distribuída é a instalação de vários pequenos produtores localizados próximos aos centros de carga, distribuídos ao longo das linhas de distribuição e transmissão.

É o oposto da geração centralizada, em que grandes unidades geradoras, como hidrelétricas de grande porte, usinas térmicas e grandes parques eólicos são construídos em regiões remotas e a energia é levada aos centros de consumo por grandes linhas de transmissão de energia.

O modelo brasileiro cresceu baseado na ideia de geração centralizada. Somente na última década, com a modernização da legislação a geração distribuída ganhou seu lugar no país.

Estados que mais geram energia solar

A ANEEL mantém um registro online atualizado de todas as instalações de micro produtores credenciados a gerar energia para o sistema por meio de geração distribuída. A grande maioria são de sistemas fotovoltaicos, o que faz com que o registro seja um grande mapa para conhecer o mercado fotovoltaico brasileiro.

O Sistema de Registro de Geração Distribuída é a principal base de dados para se conhecer o mercado fotovoltaico brasileiro. De acordo com o banco, a atual distribuidora com o maior número de clientes(mini e micro geradores) é a CEMIG, de Minas Gerais. Minas gerais é também o estado com maior número de instalações, seguido de perto por São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro são os outros três estados que possuem contribuição mais significativa para a geração distribuída nacional.

Juntos, os 5 estados que mais produzem energia respondem por quase 70% de toda a capacidade instalada (agosto/2017).

Como ser um microprodutor de energia?

A maneira mais fácil de se tornar um pequeno produtor de energia é instalando um sistema fotovoltaico em sua residência. O Brasil conta atualmente com milhares de empresas e profissionais que elaboram projetos e fazem a instalação de módulos fotovoltaicos em residências.

O processo, geralmente, consiste em três etapas principais:

  • Elaboração do estudo de viabilidade, projeto e orçamento;
  • Aprovação do cliente e instalação dos módulos fotovoltaicos;
  • Solicitação de conexão à distribuidora de energia;

O acesso à rede da distribuidora, bem como o estudo de viabilidade e projeto, são feitos por empresas especializadas. Além disso, também existem kits que podem ser comprados e instalados pelo próprio cliente para gerar energia. Nesse caso, a conexão ou não à rede da distribuidora deve ser providenciada diretamente pelo cliente.

Considerações finais

A maior parte dos estados brasileiros possuem incentivos fiscais para instalações de sistemas fotovoltaicos. O mercado de construção civil, intimamente relacionado à instalação dos módulos, também tem acompanhado a tendência, e já existem certificações importantes para o mercado que estão relacionadas à energia solar e à sustentabilidade, como o Selo Solar e a certificação LEED.

As perspectivas para o mercado de energia fotovoltaica, mesmo com a economia ainda deprimida, são muito positivas. A ANEEL e os diversos fabricantes que já se instalaram no país esperam que o crescimento continue forte e que o Brasil se torne referência no mundo nesse nicho de energia.
Para conhecer melhor o setor, conheça as notas técnicas da ANEEL e o Atlas Solar do Brasil, elaborado pelo INPE.

Hoje, a energia solar é uma excelente solução para pessoas ou empresas que procuram economia na conta de energia e o mercado está em ascendência e a procura por profissionais capacitados para realizar instalações está alta e continuará crescendo. Curso Online Instalador Solar + Super Bônus.

O mercado de Energia Fotovoltaica no Brasil
5 - 2 Votes

Comentários

comentários

Sobre o autor | Website

O Saber Elétrica é um canal educativo e informativo que vem com objetivo de compartilhar um conteúdo dinâmico e didático sobre o mercado de trabalho voltado a setor da energia e eletricidade com foco nos setores da eletreletrônica e da eletrotécnica.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.